havia um homem rico, que se vestia de púrpura e linho fino e se banqueteava esplendidamente todos os dias

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Lc 16, 19-31

«havia um homem rico, que se vestia de púrpura e linho fino e se banqueteava esplendidamente todos os dias»

O confronto do homem rico (de quem não sabemos o nome, porque seremos todos nós, possuidores das nossas riquezas…) com Lázaro (o pobre com feridas por cuidar) é central no desafio cristão. O problema do homem rico não era vestir púrpura e linho fino. O seu problema, era que Lázaro estava no seu horizonte e ele não o olhava. A riqueza de saúde, dons e bens torna-se infernal se nos auto-centra e se nos enche de insaciedade. Há “lázaros” para estarmos atentos, aproximarmos e cuidarmos. Seremos sempre medíocres na atenção aos mais pobres, seja qual for a sua pobreza. Mas é precisamente aí, na chaga do que falta, que as nossas mãos ganham sentido e que a riqueza se pode converter em doação.

JP in Espiritualidade Frases 28 Setembro, 2019

quem não renunciar a todos os seus bens não pode ser meu discípulo

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Lc 14, 25-33

«Quem não renunciar a todos os seus bens não pode ser meu discípulo»

Poderíamos pensar que estas palavras seriam apenas ou principalmente para aqueles (religiosos) que têm voto de pobreza. A verdade é que, também num estado de vida não religioso, se pode e deve ser radical. Bens como casas, carros, tecnologias, etc. podem ser renunciados, isto é, não são absolutamente para possuir, mas, em vez, administrar, usar e partilhar, precisamente na medida de ser discípulo, amigo dos homens e, no prisma cristão, “amigo de Jesus”. Notar que quem tem votos de pobreza não tem a renúncia dos bens como facto consumado. A maioria dos ‘sins’ são para redizer, alimentar e afirmar quotidianamente…

JP in Espiritualidade Frases 8 Setembro, 2019

a terra não nos pertence

Durante a colonização americana os índios nativos deram uma lição à nossa cultura, a propósito do parcelamento e sentido de propriedade da terra, que tanto nos mobiliza, ainda hoje. Diziam eles: “pertencemos à terra mas a terra não nos pertence…”

JP in Educação Frases 28 Fevereiro, 2019

Pobre

POBRE

Estendes a perna

torcida pela pobreza,

e vendes

sem preço fixo

essas mazelas.

Estendes a mão

de cansaço

para encheres

de bagaço

o teu próprio

coração

vazio.

Não importa

se tens culpa

ou onde gastas

o que te dão.

Importa sorrir,

uns segundos

em retalhos…

…in Paiva, J. C. (2000), Este gesto de Ser (poesia), Edições Sagesse, Coimbra.

acessível aqui

JP in Poemas 2 Julho, 2018