tudo está consumado

A rendição por amor é a porta estreita-larga para viver o momento presente intensamente: ao entregar-me radicalmente à realidade, mesmo que difícil, sacudo as expetativas e levanto-me firme no tempo e no espaço. Um amor prévio me libertou!

JP in Espiritualidade Frases 30 Março, 2024

lava pés

Este Deus que nos lava os pés é o serviço divinizado. A inspiração é óbvia: despoderiza-te, lava os pés do teu irmão e sê livre!

JP in Espiritualidade Frases 28 Março, 2024

Eu sou o caminho, a verdade e a vida

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Jo 14, 1-12

«Eu sou o caminho, a verdade e a vida»

Jesus apresenta-se como caminho, verdade e vida. Cada um de nós, na sua existência e nas suas interrogações mais interiores procura, afinal, um caminho, uma verdade, uma vida. Jesus é em Si próprio, esta estrada. Não é solução rápida e pré-fabricada, não é verdade matemática e meramente racional, não é elixir de vida. Jesus é caminho. Jesus é processo. O que nos acontece, numa espécie de via de teologia negativa, é que seguimos, inúmeras vezes, outros caminhos, outras verdades e outras vidas. E não é nenhuma moral mas a própria vida e os impactos (des)consolantes, que nos acordam e nos lançam no respirar existencial dos recomeços, isto é, das nossas páscoas…

Este texto repete em parte ou no todo palavras já escritas noutro contexto

L 1 At 6, 1-7; Sl 33 (34), 1-2. 4-5. 18-19
L 2 1Pd 2, 4-9
Ev Jo 14, 1-12

JP in Espiritualidade Frases 6 Maio, 2023

o nosso coração queimava

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Lc 24, 13-35

Os discípulos de Emaús somos nós, caminhantes em descoberta, ao lado da paradoxal companhia, óbviamente (in)discreta… A Páscoa é sinal de passagem e de transformação de vida, como quando uma lagarta vira borboleta e trata de colorir o mundo. Isso fervilha o coração. Assim “borboletemos” nós…

Este texto é adaptado em parte ou na totalidade de palavras anteriores já publicadas

L 1 At 2, 14. 22-33; Sl 15 (16), 1-2a e 5. 7-8. 9-10. 11
L 2 1Pd 1, 17-21
Ev Lc 24, 13-35

JP in Espiritualidade Frases 22 Abril, 2023

viver em Páscoa

Viver os hiatos da vida, entre o que ainda não é e o que já é, significa, precisamente, viver. Há dois níveis neste movimento: o entre-tanto dos microciclos espácio-temporais e o grande hiato existencial da transição da vida. Não há curto-circuitos… Há que caminhar, viver “em ponte”, viver em Páscoa.

JP in Sem categoria 14 Abril, 2023

lava pés…

Em quinta-feira Santa fixamo-nos no lava-pés, gesto mais-que-simbólico do Deus revelado em Cristo. Há em nós um resquício de recusa deste Deus que nos lava os pés e, no entanto, é nesse desmesurado amor que mora um central reconhecimento e verdadeiro Encontro, princípio e fundamento…

JP in Frases 6 Abril, 2023

esperar a Páscoa…

Há dois tipos de segredo: um mais social/relacional, tipicamente defensivo ou mesmo manipulativo. Outro segredo, mais interior, pode ser espiritual, escolhido e embrulhado em silêncio processado. Os discípulos de Jesus acolheram o Mestre quando Este lhes pediu esse silêncio/segredo, que todos podemos viver, que era esperar a Páscoa…

JP in Sem categoria 20 Março, 2023

fragmentados sedentos de Páscoa

A Ressurreição é relação. É Páscoa. É passagem, é ligação que está a acontecer. É ponte entre morte e vida, é a nossa inteireza, nós que somos fragmentados, mas que temos desejo de unidade…

JP in Espiritualidade Frases 18 Abril, 2022

visitar o túmulo…

Em sábado de Semana Santa há um convite para acolher as trevas, o tempo de que precisamos para chamar ao sofrimento e à morte os nomes que são esses mesmos…

Uma oportunidade de visitar o nosso túmulo, as nossas próprias sombras. Nenhuma vida, muito menos uma vida nova, brotará da fuga daquilo que somos. Portanto, desde já afagados pela companhia duma ressurreição garantida, saibamos visitar a realidade radicalmente frágil que somos. Só conhecendo-a e aceitando-a, poderemos ressuscitar, num amanhã que se antecipa.

JP in Espiritualidade Frases 16 Abril, 2022

lava pés

Lava pés: o papa, os cardeais, os padres, representando Jesus, lavam os pés dos outros.
Este era um sinal de serviço, de escravidão. Quem lavava os pés eram os escravos…

Duas coisas muito importantes nesta passagem:
1- O ensinamento mais comum é sobre a importância de servir, de servir o outro e não de viver a vida a ser servido mas a servir. Quando nos
distraímos queremos ser príncipes e princesas, mas a verdadeira liberdade está em sermos ‘escravos’ dos outros, em amar os outros.

2- Jesus disse a Pedro, que não queria que o Mestre lhe lavasse os pés:”o que te faço, não compreenderás agora mas depois”. Esta frase pode ajudar-nos muito
nas dúvidas de fé (eu, às vezes – também tu? – pergunto-me se Deus existe mesmo…). É que Deus nem sempre se mostra óbvio e nem sempre
se compreende. Mas qual a novidade desta passagem? É que Deus se entende, se comunica, em Jesus, quando Ele nos lava os pés. Isto é, a chave de leitura da fé é o serviço de Deus e de tantas pessoas que nos amam, que nos servem. Só se tem fé quando se deixa que Deus nos lave os pés, nos mime, nos ame (muitas vezes através de outras pessoas, como amigos, Pais, padrinhos… oxalá…). Uma vez de ‘pés lavados’ com o amor de Deus, sentimos a missão de, também nós, sermos
‘lavadores de pés’, isto é, Cristãos.

JP in Espiritualidade Frases 14 Abril, 2022