vésperas de pontes

A ponte adiante, no dia seguinte, é já de si uma esperança que valoriza a terra que piso e o tempo que me envolve. Ver a ponte, é já viver um futuro cheio de futuro…

JP in Espiritualidade Frases 18 Abril, 2019

Tenho desejado ardentemente comer convosco esta Páscoa

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Lc 22, 14-23, 56

«Tenho desejado ardentemente comer convosco esta Páscoa»

Em domingo de Ramos, os cristãos recordam o trajeto final da vida de Jesus, que antecede o fulcro da Sua entrega radical. O início do texto longo que hoje se medita nas celebrações poderia marcar toda a leitura da Páscoa: “Tenho desejado ardentemente comer convosco esta Páscoa”, isto é: falo-vos, vivo e ofereço-vos, a cada um de vós, um Deus que se quer relacionar, que quer estar, que se propõe “entranhável” na vida ordinária, no ‘comer’. Um Deus “comestível”, poderíamos dizer, numa linguagem tão ousada quanto eucarística…

JP in Espiritualidade Frases 14 Abril, 2019

Páscoa 2015

Páscoa é sinal de passagem e de transformação de vida, como quando uma lagarta vira borboleta e trata de colorir o mundo.

Assim “borboletemos” nós. Boa Páscoa!

Páscoa’ 2015

JP in Espiritualidade Frases 26 Julho, 2018

Páscoa 2014

Lava pés: o papa, os cardeais, os padres, representando Jesus, lavam os pés dos outros.
Este era um sinal de serviço, de escravidão. Quem lavava os pés eram os escravos…

Duas coisas muito importantes nesta passagem:
1- O ensinamento mais comum é sobre a importância de servir, de servir o outro e não de viver a vida a ser servido mas a servir. Quando nos
distraímos queremos ser príncipes e princesas, mas a verdadeira liberdade está em sermos ‘escravos’ dos outros, em amar os outros.

2- Jesus disse a Pedro, que não queria que o Mestre lhe lavasse os pés:”o que te faço, não compreenderás agora mas depois”. Esta frase pode ajudar-nos muito
nas dúvidas de fé (eu, às vezes – também tu? – pergunto-me se Deus existe mesmo…). É que Deus nem sempre se mostra óbvio e nem sempre
se compreende. Mas qual a novidade desta passagem? É que Deus se entende, se comunica, em Jesus, quando Ele nos lava os pés. Isto é, a chave de leitura da fé é o serviço de Deus e de tantas pessoas que nos amam, que nos servem. Só se tem fé quando se deixa que Deus nos lave os pés, nos mime, nos ame (muitas vezes através de outras pessoas, como amigos, Pais, padrinhos… oxalá…). Uma vez de ‘pés lavados’ com o amor de Deus, sentimos a missão de, também nós, sermos
‘lavadores de pés’, isto é, Cristãos.

 

Páscoa’ 2014

Páscoa 2016

Páscoa é ‘ponte’, ‘passagem’, daquilo que é frágil em nós e no mundo, para a força do amor, que vence sempre.
Desejo para ti uma existência que, apesar das dificuldades, faz ganhar sempre a confiança, o amor e a vida.

Páscoa’ 2016

Páscoa 2017

É bonito e talvez seja Páscoa achar que nunca ninguém nos deve nada.

O pouco que se dá, a ser dado, é dado, não tem retorno.
Jesus fê-lo impecavelmente ao amar os homens até à  cruz (na cruz importa sempre o amor e não a dor…) e vale a pena imitá-Lo nessa gratuitidade.

Por isso os Pais aos filhos, os filhos aos Pais, os padrinhos aos afilhados, os amigos aos amigos e Jesus aos homens, dão sem expetativa e sem esperar nada em troca, aceitando cada um como cada qual. Esta Páscoa te desejo!

Páscoa 2017

Páscoa 2018

Pedro, o discípulo muito amado – que somos cada um de nós – foi “ontem” servido por Jesus no lava-pés.
“Hoje”, trai Jesus três vezes. Jesus, “amanhã”, vai escolher este traidor, Pedro, que somos nós…
Pedro, que somos nós, “amanhã”, vai ter vários sinais do amor definitivo de Deus: a paz, o perdão e o envio.
É isto a Ressurreição, de Jesus, e de Pedro, que somos nós…
Pedro, que somos nós, é um “traidor” (carente), escolhido, amado, e cheio de futuro. Assim somos nós, Aleluia!

Páscoa’ 2018