a vossa alegria seja completa

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Jo 15, 9-17

a vossa alegria seja completa

A alegria que Jesus nos propõe, a mesma que experimenta na confiança de um amor garantido, é a alegria completa. Todos nós já experimentámos alegrias incompletas, isto é, superficiais e provisórias. Há coisas que nos dão satisfação fazer, que nos dão contentamento, mas, passado algum tempo, nos trazem nostalgia ou mesmo vazio, porque parecem trazer o selo de alguma superficialidade e porventura, também de autocentralidade. Estar numa festa, por exemplo, pode ser palco de dois tipos de alegria: se se cultiva certo prazer, mais ou menos excêntrico, mas autocentrado, sem preocupação com os outros, gera-se contentamento… mas depois, possivelmente, solidão. Se se goza, igualmente, se se faz festa na festa mas pensando nos outros, filtrando os gestos e palavras pela peneira do amor, talvez haja alegria…completa!

JP in Espiritualidade Frases 8 Maio, 2021

divertimento e alegria

Há uma diferença grande entre Alegria e divertimento. O divertimento é cutâneo e, principalmente, fugaz. Como vem, vai… e pode até deixar rastos de solidão. A Alegria, pelo contrário, é profunda e essencial, vem mas fica, garavada no tempo, com um sabor que não morre…

JP in Espiritualidade Frases 18 Dezembro, 2020

Exulto de alegria no Senhor

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Is 61, 10b

Olhando à nossa volta, neste dia, nos últimos dias ou, se for mais fácil, alguns anos atrás, podemos dar-nos conta da misericórdia de Deus na nossa vida. Identificar esses momentos ou episódios e agradecer a Deus misericordioso, que se faz presente e sente connosco é, em si próprio, exultar de alegria, verdadeiro caminho de Advento. Convém também notar aquelas pessoas que se poderão cruzar connosco neste dia e nestes tempos e que podem ser alvo da nossa aproximação, do nosso sentir, do nosso toque. Será advento humanizado em nós propormo-nos estar atentos às “provocações” da realidade humana… que nos demanda misericórdia.

JP in Espiritualidade Frases 12 Dezembro, 2020

pobreza e Alegria

Este Papa, que não por acaso se chama Francisco, investe numa Igreja dirigida aos pobres. Escreve uma primeira encíclica sobre a Alegria, como que dizendo que a “mola” que nos pode mover a tocar as chagas do mundo é, precisamente, a Alegria… Entenda-se: a pobreza toca, entristece e até esmaga. Mas o seu combate carece de um Encontro prévio com uma esperança que se pode sintetizar na Alegria interior…

JP in Frases 26 Março, 2020

o Seu rosto ficou resplandecente como o Sol

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Mt 17, 1-9

«o Seu rosto ficou resplandecente como o Sol»

A transfiguração de Jesus revela com clareza a filiação de Jesus. Em chave de leitura de fé, esta cena aponta-nos o Filho de Deus. Implícito, está igualmente o convite aos que, olhando Jesus, se deixam transfigurar a eles próprios. É este também o desafio que se coloca a cada um de nós: transfigurarmo-nos, reconhecermo-nos sempre buscados e vivermos como Filhos de Deus, assemelhando-nos a Ele, nesse reconhecimento e nessa forma de viver. No limite, fruto da alegria brotante de uma vida transfigurada, o nosso rosto poderá ser “resplandecente como o Sol”. Está visto que a Quaresma, enquanto caminho de regresso a Deus, não tem a ver como rostos macambúzios…

JP in Espiritualidade Frases 8 Março, 2020

Alegria

A Alegria, com maiúscula, que pode conter mas supera o divertimento, é o cimento da estrutura da vida.

JP in Espiritualidade Frases 16 Julho, 2019

Ele ficou ressentido e não queria entrar

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Lc 15, 1-32

«Ele ficou ressentido e não queria entrar»

A parábola do filho pródigo é muito rica e permite múltiplas abordagens. Esta história tem como centro a desconcertante medida do amor de Deus, sempre aberto a acolher cada um como ele é, com a sua história e o seu deslize. Mas centremo-nos na pessoa do irmão do filho pródigo. A sua reação é natural e todos nós temos um pouco da lógica deste irmão ressentido. Quantas vezes achámos injusto que aquela pessoa tão rude tivesse tantos benefícios? Quantas vezes pensámos ser injusto a saúde ou a vida fugir a “gente boa”, deixando outras pessoas “menos boas”, segundo os nossos critérios, sorrindo ao sol? Há nesta passagem do Evangelho um convite para gestos que nem sempre conseguimos mas que são portas de liberdade: alegrarmo-nos francamente com a alegria dos outros, sejam eles quem forem…

JP in Espiritualidade Textos 30 Março, 2019