eternidades

Os meus raros momentos (dádivas) de quase vivência esmagante de eternidade são tecidos, apesar de tudo, de entregas plenas a instantes de presença agradecida.

JP in Espiritualidade Frases 22 Abril, 2021

assim está escrito, que o Messias havia de sofrer e ressuscitar

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Lc 24, 35-48

assim está escrito, que o Messias havia de sofrer e ressuscitar

A frase do evangelho: “assim está escrito, que o Messias havia de sofrer e ressuscitar” é curiosa e muito sintética da nossa fé. Poderíamos resumir aquilo em que acreditamos na ideia vivida de que, como Jesus, entendemos (mais ainda, acreditamos e vivemos) que todo o sofrimento que a existência acarreta não é a última palavra. Convínhamos que em alguns redutos, incluindo religiosos, esta frase aparece truncada e apenas: “Assim está escrito, que o Messias havia de sofrer…”. Ora é uma afirmação não truncável, porque a Páscoa está a acontecer. Agradeçamos e vivamos em alegria a última parte não descartável, que ilumina a primeira: “…e ressuscitar”.

JP in Espiritualidade Frases 18 Abril, 2021

pecado original

Impressionante como Chardin, já no início do século, intuia a força não literalista do pecado original: o Livro do Génesis não aponta o erro da transgressão mas  o sublinhado do risco, do custo, dos limites e da incompletude da amorosa criação humana…

JP in Espiritualidade Frases 14 Abril, 2021

Meu Senhor e meu Deus!

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Jo 20 19-31

Meu Senhor e meu Deus!

Nesta aparição aos apóstolos, é bom compreender que o ressuscitado é o crucificado (com as suas chagas). Jesus aparece no medo do túmulo fechado em que os seus amigos se encontravam. Talvez Jesus experimente e nos comunique que a paz se encontra ‘indo até ao fim’, no amor. Notar também essa personagem de Tomé que nos deixa o dilema de crer para ver ou de ver para crer. Tomé somos todos nós e irmana-nos e dá-nos alento uma fé que parte – como no nosso caso – da dúvida explicitada…

JP in Espiritualidade Frases 10 Abril, 2021

o nosso coração queimava

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Lc 24, 13-35

A Páscoa é sinal de passagem e de transformação de vida, como quando uma lagarta vira borboleta e trata de colorir o mundo. Isso fervilha o coração. Assim “borboletemos” nós. Boa Páscoa!

JP in Espiritualidade Frases 4 Abril, 2021

Inclinando a cabeça, entregou o espírito

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Jo 18. 1-19

Inclinando a cabeça, entregou o espírito

São muitos os olhares pascais que se podem vislumbrar em sexta-feira Santa. A experiência é múltipla, íntima e rica. Podemos focar a entrega amorosa de Jesus na cruz nessa atitude interior de rendição, de abandono de si. Cada um de nós vai sendo convidado “a morrer assim”, inclinando a cabeça e entregando o espírito. Pode servir de metáfora inspiradora para a morte propriamente dita, que está já a acontecer nas nossas células e que se consumará biológica e sistemicamente, um dia. Mas inspira-nos igualmente para essas mortes banais do dia-a-dia que, na Fé, são sempre penúltimas experiências. Viver as pequenas e grandes mortes como penúltimas experiências é a esperança e a confiança do cerne daquilo em que acreditamos… e que somos convidados a viver…

JP in Espiritualidade 2 Abril, 2021

ainda que todos te abandonem, eu não te abandonarei

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Mc 14, 1-15, 47

ainda que todos te abandonem, eu não te abandonarei

A descrição da Paixão de Cristo, que meditamos em domingo de Ramos, é tão longa quanto profunda e repleta de sinais. Uma das formas de mergulhar neste texto é situarmo-nos nas diversas personagens e, em atitude criativa de composição do lugar, perguntar-se “quem sou eu neste cenário?” Pedro, que prometera não abandonar o Mestre, mas que o nega? Simão, o cireneu, que ajuda Jesus a levar a cruz? Um soldado? Um personagem incógnito que vê a cena mas não se envolve nem se co-move? Pilatos, que lava as mãos? O próprio Jesus? Maria, que assiste em envolvimento e dor? Barrabás, que se safa na frincha da sorte? O bom ladrão, que in extremis se arrepende e confia?…

JP in Espiritualidade Frases 28 Março, 2021

evolução ou transformação?

Maior complexidade é diferente de melhor performance ou evolução. Sem garantias de sermos melhores ontem do que hoje, pelo menos a alguns níveis, apetece invocar não a teoria da evolução mas a teoria da transformação (mais prudente…)

JP in Ciência Educação Espiritualidade 24 Março, 2021

e não mais recordarei as suas faltas

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se Jer 31, 31-34

e não mais recordarei as suas faltas

O Livro de Jeremias anuncia uma aliança nova, referindo-se a um Senhor que fará um pacto definitivo com os homens. Embora para os cristãos, esta aliança seja consubstanciada na vida de Jesus Cristo é interessante observar os seus indícios judaicos: “perdoar os pecados e não mais recordar as nossas faltas”. Muitas vezes não valorizamos a radicalidade libertadora desta misericórdia, que “treinamos”, em particular na Quaresma. Podemos tentar, também nós, ser instrumentos da uma nova aliança de perdão para outras pessoas. Não sendo fácil (até porque não significa, tão só, esquecer) poderemos trabalhar o “não recordar as faltas” dos outros, incrementando em nós a capacidade de ver os com olhos novos. Sem tanger a ingenuidade, façamos um esforço por ver os outros como Deus vê… Em particular, que as faltas dos humanos com que nos cruzamos sejam mais pretextos de misericórdia nossa, do que matéria para “carimbos”…

JP in Espiritualidade Frases 20 Março, 2021

Fé de segundo fôlego e o Pai Natal…

A expressão de Thomas Halik de que a fé cristã precisa de um “segundo fôlego” é muito interessante. Este autor refere, em particular, o ‘mito da nostalgia infantil do Pai Natal”, focado na decepção da criança que descobre que a fantasia do Pai Natal era isso mesmo, uma fantasia… Ele quer dizer o seguinte: se me venderam uma fé e uma religião com argumentos infantis (se me disseram que o Pai Natal existia…) eu não só posso como devo abrir os olhos e endireitar caminhos. Mas não existir o Pai Natal, não significa que não há Natal. Da mesmo forma, abandonar a fé que me passaram baratamente e inconsistentemente não significa que não tenho lugar na fé. Preciso é de a resignificar, de lhe dar novos sentidos… Salvar o Natal apesar de não haver Pai Natal seria o paralelo para salvar a minha fé, apesar das catequeses infantis e insuficientes…

JP in Espiritualidade 18 Março, 2021