Não sou o que queria ser

Sou elefante indiscreto

e queria ser um inseto.

Sou pavão exuberante

e queria ser rastejante.

Sou às vezes um trator

e queria ser uma flor…

2020

JP in Poemas 22 Setembro, 2021

Reacção

Reação

 

Sou química.

O meu desejo maior

é o de me

transformar.

Planta

que morre

cresce.

Assim acontece

se me deixo

transformar.

Sou química…

in Paiva, J. C., Quase poesia quase química (2012) (e-book). Lisboa, Sociedade Portuguesa de Química.

acessível aqui (porventura enriquecido com uma ilustração)

JP in Ciência Poemas Química 16 Setembro, 2021

ontologicamente contigo

Ontologicamente contigo

 

 

Meio de meio

século

Contigo

É tempo

De meia vida.

Assim me ligo

Tecido

Em filhos de linho

Docemente

Protegido

Por amor prévio

Caminho.

Teu sorriso

Me seduz

Tuas mãos

Imanam luz

Tua alma

Santifica

Teu ventre

Me frutifica.

E eu, João,

Em nini

Comprometido

Te tomo

E retomo aqui

Como sendo

Teu querido.

Preso

Nesta liberdade

Sou por dentro

Teu marido.

Promotor

Sou promovido

Atulado

Em amor

Mais ainda

Agradecido.

 

1 de agosto de 2016

JP in Poemas 2 Agosto, 2021

Hidrogénio

Hidrogénio

 

O hidrogénio

é leve, leve.

Anda

por todo lado.

Sozinho,

melhor,

aos pares,

é bastante

utilizado.

Nesse caso,

atenção,

pois pode

dar explosão,

sendo isso

quase certo

se houver

oxigénio

por perto.

É perigoso

se provocado

(quem não é…)

como nós,

uma qualquer

ignição…

pode gerar

confusão…

in Paiva, J. C., Quase poesia quase química (2012) (e-book). Lisboa, Sociedade Portuguesa de Química.

acessível aqui (porventura enriquecido com uma ilustração)

 

JP in Ciência Poemas Química 30 Junho, 2021

Cálculos de amor

Cálculos de amor

 

O Amor é

paradoxal

operação.

Mas que esquisito,

o Amor,

que grande contradição:

divide a gente o Amor

e em tão estranha divisão

sobra sempre desse Amor

uma enorme porção,

pois dividir o Amor

é uma multiplicação…

Como o Amor

não há:

tem-se tanto mais,

quanto mais

se dá…

in Paiva, J. C., Quase poesia quase química (2012) (e-book). Lisboa, Sociedade Portuguesa de Química.

acessível aqui (porventura enriquecido com uma ilustração)

 

JP in Ciência Poemas 30 Abril, 2021

Hibridização

Hibridização

Na química,

os aromas mais nobres

são com eletrões de ninguém.

É tal ressonância

que emana

e se espalha em doação.

Na química,

como na química da vida,

é a partilha,

é a não pertença

que nos perfuma…

2019

JP in Ciência Poemas Química 24 Fevereiro, 2021

Reduzido

Reduzido

 

Toma lá,

dá cá,

electrão

já cá está.

Eu fico,

reduzo,

tu perdes,

oxidas,

tu largas

eu uso

electrão,

saltitão.

Reduzi,

oxidei-te

e daqui em

diante

serás oxidado,

e eu

oxidante.

Recebi,

reduzi,

mas também

te oxidei,

lei da vida

é assim:

recebi,

também dei…

in Paiva, J. C., Quase poesia quase química (2012) (e-book). Lisboa, Sociedade Portuguesa de Química.

acessível aqui (porventura enriquecido com uma ilustração)

 

JP in Ciência Poemas Química 22 Janeiro, 2021

Oásis

OÁSIS

 

O céu abriu-se

ainda antes

de eu saber

a forma do meu viver.

Ar fresco,

banhos de azul,

e outras coisas belas

que reaparecerão

depois da noite.

Toquei este oásis

quando me pus de lado,

me importei

que aquele outro

fosse feliz.

in Paiva, J. C. (2000), Este gesto de Ser (poesia), Edições Sagesse, Coimbra.

acessível aqui

JP in Poemas 30 Dezembro, 2020

Sensual avulso

SENSUAL AVULSO

Um seio,

um olhar,

um sorriso,

uma sedução.

Um corpo,

um sexo

escravidão.

Apalpar

fazer e tocar

em provocação.

O que era belo

o que é belo

em liquidação!

…in Paiva, J. C. (2000), Este gesto de Ser (poesia), Edições Sagesse, Coimbra.

acessível aqui

JP in Poemas 2 Dezembro, 2020

Soldado

SOLDADO

Soldado

sem rumo

nem vontade

sem sorte

pela vida,

obrigado

pela morte.

Que um dia

no quartel

só morem oficiais.

Nesse dia,

nesse sonho

não haja

nem militares

nem outros homens que tais…

…in Paiva, J. C. (2000), Este gesto de Ser (poesia), Edições Sagesse, Coimbra.

acessível aqui

JP in Poemas 30 Outubro, 2020