Belo

 

BELO

O belo

é belo!

por tão

belo ser,

quase

transforma

o que é não belo

no belo

do amanhecer.

Quando

o belo

é belo

como

deve ser,

o belo

pode nascer.

…in Paiva, J. C. (2000), Este gesto de Ser (poesia), Edições Sagesse, Coimbra.

acessível aqui

 

JP in Poemas 22 Agosto, 2019

«a Terra está cheia da bondade do Senhor»

Na liturgia católica romana deste fim de semana escuta-se o Salmo 32*

«A Terra está cheia da bondade do Senhor»

Sermos capazes de ver e saborear as coisas boas é um elemento fundamental do nosso crescimento espiritual. Os Santos, em particular, são contemplativos, isto é, tentam ver com os olhos de Deus. Podemos olhar a nossa vida, os outros, a História, as situações e a Terra, salientando no que vemos “a bondade do Senhor”, conforme as palavras do Salmo. Não somos ingénuos e sabemos da existência do mal, dentro e fora de nós. Mas não conseguimos caminhar sem “atestar o depósito” da alegria, com a “bondade do Senhor”. Há uma palavra curiosa, neste contexto, que se pode convocar: a “abundancialidade” (da criação contínua…).

 

PS: Há uma linguagem própria das escrituras e da religiosidade, que pode precisar de resignificação. A expressão “Senhor”, por exemplo, pode ser encarada e vivida espiritualmente como um caminho de recentramento no que é essencial, num “qualquer coisa Outro” (O Senhor – amoroso), que não eu próprio…

*

SALMO RESPONSORIAL Salmo 32 (33), 4-5.18-19.20.21 (R. 22)
Refrão: Desça sobre nós a vossa misericórdia,
porque em Vós esperamos, Senhor. Repete-se

A palavra do Senhor é recta,
da fidelidade nascem as suas obras.
Ele ama a justiça e a rectidão:
a terra está cheia da bondade do Senhor. Refrão

Os olhos do Senhor estão voltados
para os que O temem,
para os que esperam na sua bondade,
para libertar da morte as suas almas
e os alimentar no tempo da fome. Refrão

A nossa alma espera o Senhor:
Ele é o nosso amparo e protector.
Venha sobre nós a vossa bondade,
porque em Vós esperamos, Senhor. Refrão

 

JP in Espiritualidade Textos 20 Outubro, 2018

Praia de Mira

PRAIA DE MIRA

O farnel

está protegido

na sombra

constante

da barraca.

A maioria

está vestida

e, arregaçando-se

lança a aventura

de molhar os pés.

Alguns homens

trazem marcado

no corpo nu

as alças brancas

do trabalho.

Quantas mulheres

com lenços escuros

destacando rostos

de simplicidade.

Mas o mais belo

desta tarde

foi ver sentido

naquilo que,

outrora, míope,

chamei parolos…

…in Paiva, J. C. (2000), Este gesto de Ser (poesia), Edições Sagesse, Coimbra.

acessível aqui

JP in Poemas 2 Julho, 2018

O que são as borboletas

O QUE SÃO AS BORBOLETAS?

As borboletas

são papéis

de cores vivas.

São pétalas

voadoras

disfarçadas

de asas coloridas.

As borboletas

são retalhos

de arco-íris,

pedaços de beleza,

fragmentos

do sorriso

de Deus!

in Paiva, J. C. (2000), Este gesto de Ser (poesia), Edições Sagesse, Coimbra.

acessível aqui

JP in Espiritualidade Poemas 30 Junho, 2018

O que importa

O QUE IMPORTA

O que importa

aferir

as culpas

deste naufrágio?

O que importa

saber

o porquê

da tempestade?

O que importa

conhecer

os pormenores

deste quadro

bonito,

visto de longe?

O que importa

salientar

os nós deste tapete

que resultam

num alegre bordado?…

in Paiva, J. C. (2000), Este gesto de Ser (poesia), Edições Sagesse, Coimbra.

acessível aqui

JP in Poemas